RoseFostanes-NEWS2

Situação complicada: Vencedora do The X Factor Israel 2013 pode ser deportada

A cantora Rose Fostanes, vencedora da primeira temporada do The X Factor Israel, que foi ao ar entre o final de 2013 e começo de 2014, pode enfrentar em breve uma possível deportação, depois do pedido de visto como artista, feito pela sua gravadora, Amora Music, teria sido rejeitado, relata o site Rappler.

Rose largou seu antigo trabalho para se concentrar em sua carreira musical depois da vitória no reality show e de acordo com um relatório do dia 03 de Junho, seu atual visto expira em Maio e a Amora Records, que possui um contrato com a cantora, teve o pedido do visto como artista rejeitado.

“Estamos esperançosos de que encontraremos uma outra solução para conseguirmos um visto que irá capacitá-la de exercer seus trabalhos muito bem”, disse a empresa. O relatório também acrescenta que a empresa poderia ter fornecido uma renda mais estável para Rose, pois não era suficiente para sustentá-la, tendo em conta outros investimentos em sua carreira. Isso inclui uma viagem para promover seu álbum nas Filipinas, previamente lançado pela Star Records.

Outros esforços para promover tanto a cantora como seu trabalho, incluindo o single “Walk Away”, não se saíram tão bem como esperado. No mesmo relatório, Ofer Meiri – que escreveu e produziu a canção, falou sobre a cantora dizendo: “Rose tem um grande talento e um alcance vocal incrível, ela é uma boa pessoa… Mas não tem a mentalidade de um cantor.”

Apesar da situação bem complicada, a gravadora disse que estão fazendo o melhor que podem para ajudar a estadia de Rose no país, fazendo um pedido especial ao ministro Shalom Harlow para que conceda a cantora um visto de residencia temporária.

Rose se manifestou e disse que o motivo de não estar conseguindo ir tão bem quanto o esperado não é o racismo. “Amo os israelenses e sei que eles me amam. no começo pensei que seria discriminada por conta da minha etnia, mas fui vendo a cada dia que as pessoas foram me procurando e conversando na rua comigo perguntando porque não me apresentei mais vezes no país. Acredito que posso crescer como artista e não me importo em me apresentar em lugares pequenos, bares ou programas de televisão, como novos artistas fazem”, disse.

Sobre as questões do visto, ela completou: “Entendo a situação que estou e espero que as pessoas no Ministério também entendam que sou um ser humano igual a eles, que eles entenderão o quão importante é esta oportunidade que podem me dar.”