SimonCowell-2015-NEWS

Simon Cowell fala sobre o provável hiato da boyband One Direction

(via POPLine)

O magnata por trás da One Direction, Simon Cowell decidiu abrir a boca e falar tudo o que sabe sobre a iminente pausa do grupo, marcada para 2016. Ele contou ao site Digital Spy que sabe há meses sobre o hiato, que se tornou público agora em agosto, e admitiu que a pausa pode, sim, significar o começo de um rompimento. “Eles ainda não anunciaram a separação oficial, porque acho que não têm certeza sobre o que querem fazer ainda, além de terem um tempo vago”, entregou. A possibilidade, então, existe.

O empresário, que juntou os cinco cantores na sétima temporada do The X Factor UK em 2010 e os contratou para a Syco Music, entende que os artistas estejam esgotados depois de cinco anos na estrada e em estúdio, sem parar. De qualquer forma, o contrato inicial da 1D terminaria em 2015, com o lançamento do próximo álbum. O que torna tudo uma incógnita é que foi noticiada, no ano passado, a renovação do contrato até 2017, com previsão de mais dois discos.

| #XtraPodcast: S01E06 – “X Factor Esperança” [Um dos assuntos do sexto episódio de nosso PODCAST é como seria a One Direction após uma separação, confira!] |

O próprio Simon admite que não sabe o que virá a seguir. “Eles se tornaram famosos tão rápido e têm tantas músicas tão boas que poderiam fazer isso pelos próximos cinco, dez, vinte anos”, ponderou. “Não acho que tenhamos um grande plano, a não ser que a qualquer momento em que eles voltem juntos, acho que os fãs ainda vão apoiá-los. Eu acho que as pessoas ainda irão aos seus shows. É um problema de alto nível”.

O produtor Julian Bunetta, colaborador recorrente das músicas do grupo, contou que essa incerteza quanto ao futuro estará impressa no próximo álbum. “Havia um sentimento de ‘bem, vamos dar uma pausa, e tudo pode acontecer nesse período’. É a primeira vez que há alguma incerteza, de não ter as coisas planejadas, desde que eles tinham 16 anos de idade. Havia definitivamente uma vibe de fazer desse álbum o melhor possível, sabendo que ele tem que durar tanto quanto necessário até que façamos outro – se é que faremos outro”.