XFBR-EspecialEurovision2017

ESPECIAL: Eurovision Song Contest 2017 – Final, Parte 1

ItsTimeToFaceTheMusic2

Na época off de algum The X Factor, para movimentar por aqui, resolvemos fazer um especial sobre o Eurovision Song Contest, comentando sobre as canções classificadas para a Final. O Eurovision Song Contest, ou Festival Eurovisão da Canção, é um concurso anual de canções organizado pela União Europeia de Radiodifusão (European Broadcasting Union – EBU). Dele, participam os países cuja emissora nacional é membro associado da organização. (Fonte)

Neste ano a competição aconteceu em Kiev, na Ucrânia e aqui no site dividimos as 26 apresentações em dois posts especiais, neste primeiro sendo publicado nesta (Terça-Feira) (16) comentamos do 14º colocado ao 26º e no segundo post que será publicado na Quinta-Feira (18) do 1º colocado ao 13º. Vale lembrar que o site não tem nenhum vínculo com a competição e todos os comentários são de caráter pessoal de nossos comentaristas.

Como a BBC não disponibilizou os vídeos para outros países como o Brasil, aqui teremos os vídeos oficiais lançados por cada país, que ficou na conta oficial do Eurovision, assim como os áudios que foram disponibilizados na playlist no Spotify.


ESPECIAL: PARTE 1

#26 SPAIN: Manel Navarro“Do It for Your Lover (5 pontos)

Julio: Depois de Ruth Lorenzo em 2014 a menina Espanha está morta. É até uma vergonha escolher uma música tão fraca e um cantor tão mediano para representar o país num evento desse porte. No clipe a música se torna até apresentável, mas ai você vai ver o live do menino e você simplesmente morre de desgosto. Na final ele dá uma desafinada tão monstruosa pior que a do Isaiah na semifinal. Ainda recebeu muito voto do televoto, pois se dependesse de mim…

Niv: A Espanha já teve tantas músicas icônicas no Eurovision (a última foi da maravilhosa Ruth Lorenzo) que quando você escuta “Do It for Your Lover” a sensação que fica é um grande: ATA. Muita fraca a música, Meu Deus! Não tem clímax, parece-me ser uma coisa muito despretensiosa. Dúvido que eles achavam que tinham alguma chance com essa música. Melodia clichê que combina com uma letra clichê e um cantor sem muita personalidade. Não foi um ano bom pra Espanha.

Rich: Uma ótima música que como o vídeo já mostra, é ótima para ouvir saindo com os amigos e ir para a praia. Vocalmente o Manel não é bom, ao vivo ficou ainda mais claro, e olha que a Espanha já mandou gente boa com músicas muito melhores, como a Ruth Lorenzo e a Pastora Soler, por exemplo. A lanterninha foi até merecida, já que podia ter ficado de fora da Final tranquilamente, se o país não fizesse parte do Big Five.

#25 GERMANY: Levina“Perfect Life” (6 pontos)

Julio: Por um momento eu achei que ela ia começar a cantar Titanium da Sia. Essa falta de originalidade da melodia é algo que me incomoda BASTANTE. Levina é super carismática, mas sinceramente a música era muito fraca e deixava bem exposta às limitações da voz dela. Fiquei com dó da posição, mas olha foi justo.

Niv: O problema da música alemã em 2017 é uma coisa gravíssima pro Eurovision: falta de clímax. Pior que a música não é ruim, tem um ritmo legal e a cantora canta bem até, mas parece muito aquelas músicas que ficam no meio do álbum que você exclui depois de ouvir pela primeira vez? Pois é…

Rich: O ritmo parece que estamos num comercial e coisa do tipo, bem aqueles da Coca-Cola e tal. Tem uma levadinha gostosa, a Levina foi bem simpática em alguns vídeos que vi e a música pode não ser forte, porém era melhor que outras que ficaram melhores colocadas.

#24 UKRAINE: O.Torvadl“Time” (36 pontos)

Julio: Claramente eles não queriam o bicampeonato. Eu sinceramente achei eles bem dispensável e tiveram muita sorte de se apresentar na segunda parte, pois se tivesse sido um dos primeiros ninguém lembraria e seria um forte candidato a zerar os pontos. E volto a falar o quanto é genérica a música.

Niv: Incrível que sempre que o país vence a música do outro é sempre muito fraca. Mas essa é horrível! Rock genérico de uma qualidade muito duvidosa. Simple Plan ficou na década passada. Muitas caras e bocas, muitos vícios de vocal/performance. Um ano para esquecer.

Rich: Sinceramente? Achei bem qualquer coisa, sei lá, essa final no sentido de música tiveram outras bem melhores, a sorte é que como foi na Ucrânia o país já estava classificado paraa a final, porque de resto, passo.

#23 ISRAEL: IMRI“I Feel Alive” (39 pontos)

Julio: O cara foi death spot com essa farofa pop genérica, daí vocês já tem noção do que viria pela frente né. Nada funcionou, achei até super cotado ele ter passado pra final, sendo que a semi dele era a mais forte e gente com músicas bem melhor. Ainda bem que beleza não ganha eurovision né amores?

Niv: Que baladinha mid tempo meia-boca, né gente? Tá que o cantor é gato, mas não salva a música não, viu. Parece aquelas músicas que toca no fim de open bar que todo mundo já tá bêbado e cansado e ninguém se importa se a música é boa ou não. Israel já teve anos melhores.

Rich: Tem cota Sapão no Eurovision também né? Esse vídeo é curioso que o clima de festa que a música passa na melodia e tal, só começa depois, enquanto tão andando pela praia fica meio “ué, ok”. Israel veio com um popzinho que me lembra de outros anos, me lembrou até a vibe Mans nos dois primeiro álbuns dele pós-idol, antes de tentar a sorte no Eurovision e vencer.

#22 POLAND: Kasia Mos“Flashlight” (64 pontos)

Julio: Eu tenho uma relação de amor e ódio com essa balada. Eu acho ela interessante, mas ao mesmo tempo super fraca. Ela sai na frente pois ela é uma das poucas na final que tinha esse estilo, mas se formos colocar na mesa ela acaba sendo ofuscada bastante e foi isso que aconteceu. Não teve nada tão impactante além de um bom vocal e uma balada ok.

Niv: Finalmente uma música interessante neste post. Eurovision geralmente abraça música com essa sonoridade (vide Animata e Rona Nishliu), mas precisa de um momento “BANG”, algo pra emocionar, que faça todo mundo arrepiar e a nossa gatinha polonesa não teve. Inclusive, a nota no final foi uma tentativa frustrada de um big moment. Um ano regular para a Polônia.

Rich: Senti vibes Lara Fabian na época de seu sucesso com música em “O Clone”. Achei o arranjo dark que também pareceu com umas outras músicas do Eurovision e eu vejo isso como coisa boa para manter as tradições, só não tem aquele impacto para render um “OMG”.

#21 CYPRUS: Hovig“Gravity” (68 pontos)

Julio: Eu gosto muito da música, acho que com o passar do tempo eu fui aprendendo a gostar muito mais e achei até injustiçado, pois ele arrasou muito no live na final. Ele tem uma presença de palco super natural (Beijo Gabbani) e canta bem.

Niv: Quando a música começou eu achei que ia ser um cover de “Human” do Rag’n’Bone Man. Inclusive é caso de plágio, porque o arranjo é IGUAL. Tirando isso, eu gostei bastante da música, da letra, do ritmo que o Hovig impõe na música. Fica na média.

Rich: Hovig faz parte da ala X Factor na competição, participou da segunda temporada da versão grega. Gosto da levada, da música em si, mesmo achando que depois de um tempo ela torna-se enjoativa, mas é boa e dá para ouvir.

#20 DENMARK: Anja Nissen“Where I Am” (77 pontos)

Julio: Vocês tem noção que por 4 pontos essa mulher não ficou de fora da final? Pois bem a gente já sente o drama daí. Ela foi super sabotada porque essa música não mostrou metade do potencial da Anja e ela fez o que pode. Esbanjou carisma, foi maior que a música e simplesmente arrasou. A posição foi super injusta e eu só quero dizer que Anja eu nasci pra te venerar.

Niv: ANJA EU TE VENEROOOOOOOOO. A primeira injustiçada do ano. A voz dessa mulher é de outro mundo, bicho. E a música é uma receita de bolo bem feita: letra convincente, melodia crescente, momento para crescer e uma voz que aguente tudo isso. Uma pena que não compraram a ideia, porque a Dinamarca escolheu uma música incrível para 2017, a melhor desde “Only Teardrops”.

Rich: Uma das melhores vozes desse ano, sem dúvidas. Anja venceu o The Voice Australia e essa música é composta pela Angel Tupai, do X Factor Australia, ou seja, um crossover HAHAHA Gosto da força da canção, do modo que a Anja deu tudo de si na apresentação e no vídeo, foi algo muito bom e merecia uma melhor colocação pelo poder em geral.

#19 GREECE: Demy“This Is Love” (77 pontos)

Julio: Cotadissima a Grécia, bicho. Ela foi bizarra nos lives da semi 1 e passou sabe lá deus o motivo. Ela melhorou um universo na final, talvez isso explique a pontuação alta, mas acho tudo muito just ok e bem superestimada.

Niv: É uma baladinha legal. Nada demais, mas legal. Tem uma batida ok, uma letra ok e a cantora ok. Mas não tem clímax. Ou você se chama Helena Paparizou e bota pra f*der com uma baladinha ou você nem tenta.

Rich: Essa música parece duas bem distintas né? Antes de animar e após animar HAHAHA Confesso que gostei mais do começo, depois acabou se perdendo no meio de outras canções com esse estilo pop, o refrão pelo menos grudou aqui no meu ouvido.

#18 ARMENIA: Artsvik“Fly With Me” (79 pontos)

Julio: O melhor momento da menina Armenia foi a Artsvik chorando no fim da apresentação do Salvador. Mas ai entra a mesma coisa que aconteceu com a Anja, uma voz maravilhosa para uma música super pequena e fraca. Deu o que pode e fez um trabalho bom.

Niv: Não sei nem os motivos de ter chegado a final. Eu gosto do conceito que a música tenta passar mas não funciona pro Eurovision. Ainda acho que ficou muito bem colocada no ranking final.

Rich: Achei boring, não vi se destacando entre as outras músicas dessa final, ficou ali no quesito “bleh”, tenho nem muito o que falar.

#17 BELARUS: NAVIBAND“Story of My Life” (83 pontos)

Julio: Eu só sei que eu queria bater palma e dançar. Eu amo a energia que eles passam e isso é muito bom. A música é meio infantil e as vozes também, mas achei que super funcionou e ainda teve beijão no fim do live na final (puro golpe de marketing). Foram bens.

Niv: Adoro quando um país abraça sua língua natal e vai com tudo pro Eurovision. O duo é bem legal. A música é gostosinha de ouvir e existe uma química. Não entendi uma palavra que eles cantaram, mas a vida é assim mesmo.

Rich: Uma das músicas que mais gostei desse ano, principalmente pelo fator melodia. Se eu não entendo a letra, me vendo e acabo conquistado por outros quesitos. Uma delicinha, e na ala daquelas músicas que não possuem impacto, saiu na frente. Até daria uma colocaçãozinha melhor.

#16 AUSTRIA: Nathan Trent“Running on Air” (93 pontos)

Julio: Ai gente é lindinho, mas é só. A música é um saco sem fim. Eu agradeço ao televoto por ter flopado porque sério, bem esquecível e bem superestimado né amores.

Niv: Foi o Ed Sheeran que fez essa música? Porque né… Eu gostei da música, para falar a verdade. Passa um clima super legal, algo fim de tarde com os amigos na praia, mas não serve para Eurovision (como várias deste post, se vocês já perceberam). Eu creio que eles tentaram fazer algo que o Mans fez com “Heroes” em 2015, mas não deu muito certo, né…

Rich: Achei essa música ótima para ouvir de boas, não para uma competição em si, mas como tivemos umas bem fraquinhas passando, ele acabou se destacando no meu ponto de vista. Uma delicinha de música e que já ouvi umas várias vezes.

#15 UNITED KINGDOM: Lucie Jones“Never Give Up On You” (111 pontos)

Julio: Meu coração tá em pedaços até agora com essa sabotagem, velho. Minha Lucie não merecia isso e é só você vê alguns que ficou na frente dela, era top 05 no mínimo. Eu não tenho nada a criticar só a elogiar, sério. INJUSTIÇADA.

Niv: Eu digo isso com muita propriedade: se ela fosse de QUALQUER país, repito: QUALQUER país, a Lucie estaria no Top 3 com FACILIDADE. Infelizmente, o Brexit influenciou muito a posição que nossa princesinha teve. A performance na final foi arrebatadora e merecia muito mais que um tímido 15º lugar. Mas menina Lucie pode sair orgulhosa por fazer UK tem a melhor música da década (e dúvido que será superada nos próximos 5 anos).

Rich: Pode entrar a maior injustiçada de 2017! Uma das melhores vozes, uma das melhores músicas e uma das melhores performances, principalmente da Final. Por questões políticas (Brexit) a coitada foi boicotada, se fosse qualquer outro país, com a mesma música e a mesma Lucie, seria Top 5 FÁCIL. Mesmo assim foi o melhor resultado do UK desde 2011, mas se não fosse esse câncer chamado política, a divinha ficaria bem melhor colocada u.u

#14 AZERBAIJAN: Dihaj“Skeletons” (120 pontos)

Julio: A apresentação dela é muito tombo e confesso que a música funciona mais no vídeo do que no live, ainda sim eu acho a canção muito maravilhosa e a Dihaj é um amorzinho.

Niv: É uma música sem grandes apelos, mas que cumpre o requisito. Não tem muito o que dizer, além de que é uma típica música de meio de tabela.

Rich: Gostei muito mais do vídeo que das performances ao vivo, embora tenha demonstrado um certo carisma. A canção no geral também é bem Eurovision de outras épocas e como gosto, ganhou pontos.

O Especial continua nesta Quinta-Feira (18) com os comentários das outras 13 apresentações!